Fale Conosco

IPA: da Inglaterra para a Índia, e depois para o mundo todo

Ela é o tipo de cerveja preferido de muita gente e tem como principais características o amargor e sabor mais lupulado. De origem inglesa, a IPA conquistou o paladar dos brasileiros e é quase obrigatória entre os rótulos das cervejarias artesanais. Neste post, vamos conhecer um pouco mais sobre este estilo.

Hoje em dia não é difícil conversar com alguém que gosta de apreciar boas cervejas e ouvir dizer que o seu estilo preferido é a IPA. Mas como, em tão pouco tempo, este tipo de cerveja conseguiu criar uma base tão forte de fãs e se tornar uma das mais produzidas e vendidas pelas cervejarias artesanais no Brasil? Bom, neste artigo, vamos tentar responder esta e outras perguntas. Mas antes, vamos voltar um pouquinho no tempo, até a época em que a Índia estava sob domínio da Coroa Inglesa?

DUAS TEORIAS PARA O NASCIMENTO DA IPA

A mais popular história para o nascimento da India Pale Ale (depois abreviada para IPA) conta que, em 1760, quando a Índia, como já dito, ainda era uma colônia britânica, muitos ingleses passaram a se mudar para lá. Como muitos não se adaptaram aos costumes e à culinária do local e também sentiam saudades dos alimentos que consumiam na sua terra natal, sem contar a própria dificuldade de se produzir algumas receitas no novo lar, a demanda por itens de consumo era grande e, entre eles, a cerveja estava entre as prioridades.

Porém, as Ales produzidas na época não aguentavam o percurso de navio entre Europa, África e Ásia, chegando com sabor alterado ou mesmo estragadas. O que fazer então para que os momentos entre família e amigos degustando uma boa cerveja não fossem afetados?

Um fato que era conhecido desde aquela época era que o lúpulo, um dos principais ingredientes da cerveja, funcionava como um “conservante” natural, mantendo a cerveja em boas condições por mais tempo. Foi aí que um cervejeiro chamado George Hodson teve a ideia de fazer uma cerveja do tipo Ale com maior adição de lúpulo. Nascia então a India Pale Ale, criada para satisfazer o paladar dos ingleses com saudades das bebidas de seu país de origem.

Mas, embora seja uma boa história, há pesquisadores e historiadores que divergem destas informações a respeito da origem da IPA. Segundo eles, já em 1711, várias cervejas já haviam sido exportadas com sucesso. Nesta versão, quem teria começado a fazer cervejas com mais lúpulo na fórmula seria não apenas um, mas um grupo de cervejarias da cidade de Burton upon Trent, com uma receita adaptada da Pale Ale. O nome India Pale Ale seria mencionado pela imprensa somente anos mais tarde, em 1829, em um jornal australiano, o que prova que a fama da IPA chegou a mais colônias inglesas.

E COMO ELA CHEGOU AO BRASIL?

Até 1996, a IPA existia no Brasil apenas em alguns rótulos importados que chegavam por aqui para um grupo muito seleto de apreciadores. Embora na época o dólar estivesse quase pareado com o Real, o nosso país ainda não tinha a cultura cervejeira que tem hoje. A primeira IPA nacional, no entanto, surge nesse ano, criada por um então brewpub de Ribeirão Preto que mais tarde se tornaria também uma cervejaria artesanal, mas o dia em que o estilo seria febre entre os apreciadores de cerveja estava bem longe de chegar.

No começo dos anos 2010, no entanto, é que a história das IPAs no Brasil começa a ganhar corpo. O dólar novamente barato impulsiona viagens ao exterior, o que leva muitos brasileiros a experimentarem rótulos variados de cerveja e descobrirem estilos que até então não passavam pelo nosso radar. Entre eles, olha só: as IPAs.

Não demorou muito para que começasse um processo de importação de vários rótulos e o crescente interesse de cervejarias locais por estes estilos. Dentre vários que chegaram por aqui, a IPA marcou presença. 

E, para muitos, não deixa de ser um tanto quanto irônico: a ideia geral, até então, era a de que o brasileiro era fã de cervejas mais leves e refrescantes, que combinam com o nosso clima mais quente. Cerveja amarga? Para estas mesmas pessoas, nem pensar. E a IPA provou que eles estavam errados. 

Tanto que, em 2012, foi realizado no Brasil o primeiro IPA Day, um evento dedicado exclusivamente a este estilo de cerveja. Para se ter uma ideia, nenhum outro tipo de cerveja teve, naquele ano ou nos próximos, um acontecimento do tipo. 

E daí pra frente o caminho da India Pale Ale já estava criado no Brasil. Nos outros eventos cervejeiros, ela era a mais apreciada, a mais comentada, a mais consumida. Mais amarga, mas também mais aromática, devido à presença dos lúpulos, suas várias versões e receitas traziam sempre algo de diferente em um dos períodos em que o brasileiro mais buscou por cervejas diferentes. Foi o match perfeito.

E EIS QUE SURGE A KREMER IPA

E este primeiro contato com a IPA mostrou-se, com o tempo, não ser um amor passageiro. Tendo isso em mente, analisando o histórico do estilo no país e fazendo um estudo completo das características que mais agradam o paladar brasileiro quando o assunto é a India Pale Ale, a Kremer, em 2018, lança a sua própria IPA. Marcante e intensa, como seu próprio slogan diz, ela fez valer todo o tempo de dedicação e preparação para chegar ao mercado: no Mondial de La Bière SP em 2018, ela recebeu nada menos que a Medalha de Ouro de sua categoria. 

Puro malte, fruto da combinação de lúpulos e maltes selecionados. Ela apresenta intenso amargor, característica do estilo. Com uma coloração acobreada, espuma densa e sabor marcante, a IPA Kremer ainda possui um aroma único e intenso, com notas de madeira nobre, cítrico e floral.

E quando o assunto é harmonização, a Kremer IPA é a escolha perfeita para acompanhar queijos como Roquefort, Gorgonzola e variedades à patê dure, além de carnes vermelhas, pratos apimentados, costelinha suína e carnes defumadas no estilo dry rub. Outro jeito muito popular de apreciar uma IPA é com um bom hambúrguer artesanal, que pode tanto ser feito por você mesmo em casa quanto comprado do seu estabelecimento preferido.

Gostou de aprender mais sobre a origem da IPA? Que tal aproveitar para colocar algumas garrafas de Kremer IPA para gelar, separar algumas das nossas dicas de harmonização e ter uma verdadeira experiência de degustação? Saúde!